Novos desafios para futuros médicos

Com um número elevado de candidatos, uma pequena quantidade de vagas e uma grande preparação dos concorrentes, o vestibular de Medicina apresenta sempre notas de corte altas e médias finais elevadas. A adoção de ações afirmativas pelas Faculdades Públicas também muda o cenário de concorrência para as vagas.

vestibular_medicina

Como a carreira mais procurada nas principais universidades, a relação de candidatos por vaga chega até a 216 por uma. Na UNIFESP, por exemplo, há cerca de 15.000 aplicantes para só 75 vagas são destinadas a alunos egressos de escola particular. Já na UNESP (Botucatu), são 67 selecionados entre os 20.000 vestibulandos.

Ainda assim, 22 estudantes formados em 2014 foram aprovados em Medicina. “O que eu acho que o mais importante foi resolver provas passadas dos vestibulares que eu ia prestar, isso além de nortear os tópicos mais importantes para estudos. Estar familiarizado com as provas de cada vestibular ajuda muito”, afirmou Maria Beatriz Dias, aprovada na UNICAMP. “Ter passado foi a maior conquista da minha vida e a sensação de ter passado foi maravilhosa, é até difícil de explicar!”, completou.

“É preciso ser muito bom para entrar em um Medicina hoje. Qualquer aluno que consegue ser aprovado merece todos os elogios que possam ser feitos”, declarou Roberto Nasser, coordenador de História, Vestibular e Orientação Profissional.

Coordenadores propõem organização de estudos

Iniciativa dos coordenadores Bete Rosa (Laboratório de Química), Therezinha Digiulio (Orientação Educacional), Juvenal Schalch (Biologia) e Roberto Nasser (História e Orientação Profissional) e do Sub Coordenador Carlos Alberto De Simone (Educação Física) propõe uma organização de estudos personalizada para alunos da 3.a série. O objetivo é prepará-los para um melhor ano letivo e para o exame vestibular.

estudos1

Realizado há 5 anos no Colégio, o projeto consiste na elaboração de um cronograma de estudos baseado nas atividades específicas e nas preferências de cada aluno. “O grupo foi criado para ajudar os alunos que acompanham bem o Bandeirantes mas têm dificuldade de organização nos estudos”, explicou Bete Rosa.

estudos2

O estudante preenche uma grade horária com todas as atividades realizadas, incluindo aulas do currículo escolar, cursos extras e compromissos fixos durante a semana, assim, o tempo para o estudo é colocado de acordo com a disponibilidade do aluno. A quantidade de horas dedicada a cada disciplina tem como base o vestibular que cada um pretende prestar e as dificuldades com determinada matéria.

estudos_perso1

Também, o modo como o cronograma é montado permite flexibilidade caso algum imprevisto ocorra durante a semana. Além disso, é dada a devida importância para o tempo de descanso do aluno, para que o horário de estudo seja o mais produtivo possível. “Nós nos baseamos em uma pesquisa sobre o tempo de concentração do estudante, que prova que após 50 minutos o cérebro vai perdendo a atenção. Por isso, fazemos um máximo de 2 horas para uma disciplina”, completou a coordenadora de Laboratório de Química.

estudos_perso2

“Ter esse acompanhamento durante o meu terceiro ano me ajudou muito. Eu tinha uma carga muito grande conteúdo para estudar e apostilas para completar. Traçar metas semanais me ajudou muito a querer me superar e alcançar os meus objetivos”, declarou Juliana Reimberg, que participou do programa no ano passado.