Calouros comemoram aprovações 

Após a divulgação da lista de aprovados da FUVEST e outros vestibulares de destaque, os novos calouros invadiram o Band para comemorar as conquistas nos vestibulares juntos aos colegas e professores.

bixox_2016_9

Com os rostos pintados e sorrisos estampados na face, os alunos se reuniram na sala dos professores no horário do intervalo da manhã para reencontrar os mestres e compartilhar a felicidade da entrada na universidade com eles.

bixox_2016_7

“É bom vir aqui e agradecer os professores por tudo que eles fizeram por nós.”, contou Júlia Semer, aprovada na Faculdade de Direito da USP. “ Foram eles que nos ensinaram o que precisávamos para passar. É importante retribuir isso para eles. Também é ótimo reencontrar os amigos”, declararam Beatriz Schiewaldt e Maíra Romero, ambas calouras de Engenharia Mecatrônica na POLI.

bixox_2016_10

“Acho que eu tive poucas sensações na vida melhores que ser sido aprovado no curso que eu queria, vale a pena”, afirmou Caio de Sandre, estudante de Administração Pública na FGV.

bixox_2016_3

Segundo Júlia Duarte Bernardo, aprovada em Medicina no Einstein e Engenharia de Produção na Unicamp, Unesp, UFRJ e USP, onde iniciou o semestre, “todo o esforço foi merecido”. E ainda completa que a organização para estudar o conteúdo aos poucos ao longo do ano foi fundamental para conquistar bons resultados.

bixox_2016_5

“O Band te prepara como fazer a prova. O treino é constante e isso ajuda muito”, ressaltaram Gabriel Yshay, calouro de Engenharia da Computação, e Ivan Brangeli, de Engenharia Química, ambos da USP. Eles também acrescentaram a importância de equilibrar estudos e vida social e manter a calma na hora da prova.

bixox_2016_2

O Bandeirantes parabeniza todos os aprovados pela conquista e deseja muito sucesso nesta nova fase na vida dos alunos.

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

FGV Direito 2013 – Mudanças no Vestibular

Candidato da Direito-GV precisa conhecer de Cartola a Amy Winehouse

Karl Marx deve ter se revirado no túmulo quando foram anunciadas, nesta quinta-feira (10/05), as mudanças no vestibular da Escola de Direito da FGV-SP. É que seu Manifesto do Partido Comunista está ao lado da música Burguesinha, de Seu Jorge, como duas obras de conhecimento obrigatório dos candidatos. Para a próxima edição do exame os estudantes vão precisar “estudar” dez canções e relacioná-las a temas da atualidade, na nova prova de artes e questões contemporâneas.

“Queremos alunos capazes de articular a realidade social à produção cultural”, explica Adriana Ancona de Faria, uma das responsáveis pelo processo seletivo. A banca também mudou o cálculo da nota final, atribuindo mais peso à prova de português e diminuindo a importância da redação e do exame oral.

Agora, na primeira fase, o candidato fará questões dissertativas de língua portuguesa, língua inglesa, história, geografia, raciocínio lógico-matemático e artes e questões contemporâneas (e não mais artes visuais e literatura). A prova da segunda etapa é oral. As inscrições começam em 9 de julho e vão até 15 de outubro, no site www.fgv.br/processoseletivo. Serão oferecidas 50 vagas.

A novidade do exame são as músicas. O aluno terá de conhecer, além de Burguesinha, composições de Chico Buarque (Construção), Noel Rosa (Conversa de Botequim), Beatles (Revolution) e Amy Winehouse (Rehab), entre outras. A Direito-GV tem ainda uma relação de livros, como nos vestibulares tradicionais, e listas de filmes e obras de arte.

Já as questões contemporâneas trabalhadas na prova são a globalização e a transição da modernidade para a pós-modernidade. Para abordar os temas, a banca sugere a leitura de Marx e livros do sociólogo Anthony Giddens e do filósofo Emmanuel Kant.

Segundo Adriana, o objetivo não é verificar o conhecimento enciclopédico do candidato, mas a maneira como ele usa habilidades e competências para dialogar com a arte e as questões sociais. “O vestibular reafirma a proposta do curso: queremos alunos capazes de inovar e desenvolver suas capacidades intelectuais.”

Obras Obrigatórias

Questões Contemporâneas

Manifesto do Partido Comunista
Karl Marx e Friedrich Engels
Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141998000300002&script=sci_arttext

Mundo em Descontrole: O que a globalização está fazendo de nós
Anthony Giddens

Resposta à pergunta: O que é o Iluminismo?
Emmanuel Kant
Disponível em http://www.lusosofia.net/textos/kant_o_iluminismo_1784.pdf e http://www.ufsm.br/gpforma/2senafe/PDF/b47.pdf

Literatura

Nacional e de língua portuguesa:

Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida
Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
O Cortiço, de Aluísio Azevedo
A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós
Vidas Secas, de Graciliano Ramos
Capitães da Areia, de Jorge Amado
Sentimento do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade

Estrangeiros:

Metamorfose, de Franz Kafka
Galileu Galilei, de Bertold Brecht
1984, de George Orwell
História de Cronopios e Famas, de Julio Cortazar
O Estrangeiro, de Albert Camus

Artes Visuais

Nacionais:

Abaporu, de Tarsila
Caipira Picando Fumo, de Almeida Júnior
Bananal, de Lasar Segall
Bicho (1960), de Lygia Clark

Obras estrangeiras:

Mao Tse Tung, de Andy Warhol
Jogadores de Cartas, de Paul Cézanne
Guernica, de Pablo Picasso
Humanos Nascemos, de Quino

Bibliografia para obras brasileiras:

CARDOSO, Rafael. A arte brasileira em 25 quadros. Rio de Janeiro: Record, 2008.
AMARAL, Aracy. Arte para quê? A preocupação social na arte. São Paulo: Studio Nobel, 2003.

Bibliografia para obras estrangeiras:

ARAGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
CHIPP, Herschel. Teorias da Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Cinema

Nacionais:

Tropa de Elite 1, de José Padilha
Cabra Marcado para Morrer, de Eduardo Coutinho
Para o Dia Nascer Feliz, de João Jardim
Central do Brasil, de Walter Salles

Estrangeiros:

Apocalipse Now, de Francis Ford Coppola
Babel, de Alejandro González Iñárritu
Blade Runner, de Ridley Scott
Persépolis, de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud

Bibliografia sobre cinema

XAVIER, Ismail. A experiência do cinema. Rio de Janeiro: Graal, 1983.
METZ, Christian. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 1972.
BUCHTER, Pedro. O cinema brasileiro hoje. São Paulo: Publifolha, 2005.

Música

Obras:

Construção, de Chico Buarque
Burguesinha, de Seu Jorge
Chega de Saudade, de Tom Jobim
Coisas do mundo, minha nega, de Paulinho da Viola
Conversa de Botequim, de Noel Rosa
Domingo no Parque, de Gilberto Gil
Englishman in New York, de The Police
O mundo é um moinho, de Cartola
Rehab, de Amy Winehouse
Revolution, de Beatles